segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Videos de canários parte 2

Scott Fancy

Frisado do Sul


Lipocromo Branco


padovano




Padovano  
Gloster
Bosu Belga

domingo, 30 de janeiro de 2011

Limpeza

Boas a todos, a limpeza do canaril, gaiolas e acessórios, é um dos actos mais importantes para o bem estar das nossas aves. Nunca devemos substimar a importância deste acto, sob pena de nos causar algum disabor. Para quem não tem muito tempo para cuidar das aves, é preferivel criar com menos casais, mas garantir o seu bem estar diário. Menos casais, mas mais condições, é um acto de bom senso para com as aves e nós próprios. A limpeza para mim é muito importante, todos os dias quando entro no canaril vou ver como estão os fundos das gaiolas, se for necessário limpo. Faço sempre uma grande limpeza ao fim de semana, gaiolas, chão do canaril, etc. Comedouros e bebedouros limpo todos os dias, para não criarem pó, nem sujidade.


Limpeza das gaiolas

Certamente que todos nós já ouvimos ou lemos em algum lado que as gaiolas devem ser limpas, lavadas e desinfectadas pelo menos uma vez por semana. Agora pergunto uma coisa, numa gaiolas onde está um casal em criação como se pode retirar este casal durante 10 ou 20 minutos para limpar a gaiola? E estas aves será que toleram este tipo de acção? Ou será que devemos avisar as aves que não podem demorar mais que uma semana a criar porque precisamos de limpar a gaiola?

Claro que a limpeza é importante mas eu apenas limpo as gaiolas entre criações. Todas elas dispões de redes no fundo e a areia dos tabuleiros é mudada frequentemente, mas não gosto de perturbar aves em criação com limpezas. Além disso sempre defendi que não devemos proteger demais as aves o que acaba tornando-as mais frágeis. Não me preocupa que as aves tenham contacto com alguns agentes patogénicos. A natureza proviu todos os seres de sistemas próprios de defesa e, desde que em boa saúde, raramente uma ave adoece devido a estes factores. Isto não quer dizer que porque os agentes graves não surjam em viveiros tratados regularmente possamos daixar andar, mas também não necessitamos de limpar e esterilizar diariamente!!!

Assim faço duas grandes limpezas, uma no final das criações e outra antes do inicio das criações e sempre que as gaiolas estão desocupadas e o permitem. Nestas ocasiões é tudo desinfectado e lavado várias vezes incluindo o canaril e todos os utensílios.

As gaiolas devem ter uma grade sobre o tabuleiro do fundo o que facilita a sua limpeza. Este processo permite que se retire os detritos acumulados no tabuleiro sem ter de se mudar as aves. No fundo do tabuleiro deve haver areia perfumada,própria para gaiolas, areia para gatos, jornal, carolo de milho ou aparas de madeira. Como sabem eu utilizo areia para gatos, da marca MY CAT. A areia mantém a mistura solta facilitando a limpeza e absorve a humidade dificultando o desenvolvimento dos fungos.

A periodicidade da limpeza depende do tamanho do tabuleiro mas é uma boa norma não deixar acumular. O ideal seria limpar todos os dias mas julgo que uma vez por semana é o suficiente, altura em que fazemos também uma limpeza das grades do fundo.

Limpeza do canaril

O local onde temos as gaiolas tem sempre algumas poeiras, ou das sementes ou do esvoaçar das aves. As cascas das sementes acabam sempre por sair dos tabuleiros. Todos os dias devemos verificar as gaiolas e observar as aves, mudar água e comida e podemos usar a ocasião para limpar o canaril sempre que necessário ( eu todos os dias aspiro o chão), pois as poeiras em suspensão prejudicam a respiração.

Apesar de no princípio as aves não gostarem desta operação rapidamente se habituam a esta rotina e percebem que não são incomodadas por isso, ficando mais calmas. Aliás é bom que se consiga fazer tudo numa rotina mais ou menos estável porque isso torna as aves muito mais calmas. Mudar a comida e água a horas diferentes e irregulares, fazer limpezas à pressa e assim, só prejudica as aves, devemos tentar sempre que possível estabelecer rotinas para todas actividades e acima de tudo tirar pelo menos um dia por semana para uma limpeza maior e observação mais cuidada. Claro que isto é muito fácil de dizer mas com o ritmo de vida actual é complicado conciliar as coisas, em especial para quem faz disto um hobby. Pretendo apenas dar a entender que esta actividade necessita de algum tempo e todos os que pretendam iniciar-se nela deverão, antes de investir tempo e dinheiro em aves e gaiolas, tentar aperceber-se do tempo que podem dispôr para o efeito. Tudo é proporcional, tratar de uma gaiola leva digamos 15 minutos mas 10 não levam 3 horas, não podemos fazer as contas assim. Quando estou em casa passo entre 1h30m a 2h horas por dia com os canários, seja em limpezas ou só a observar o que se passa, mas consigo fazer uma manutenção de tudo com cerca de 2 horas diárias. Na altura da criação, para além das horas que passo no canaril durante a tarde, passo pelo canaril tambem 30m durante a manha, para ver como estão as coisas e fornecer papa nova às aves.

Desinfectantes

Devemos ter em atenção os produtos que usamos pois alguns serão tóxicos e devem ser usados com a prudência necessária. Existem no mercado alguns específicos para aves, é esses que devemos utilizar tanto em aves como nas instalações, pois certamente estão certificados para as mesmas por empresas competentes. Em caso de dúvida, não vale a pena arriscar. eu uso essencialmente dois, o fungistop para os comedouros e bebedouros e o insectornis para as gaiolas e instalações. São eficazes e não muito caros. Costumo também utilizar o sprayavex (Produto Natural. Repelente de elevada eficácia no combate de ácaros, piolhos, e outros parasitas externos das aves. Indispensável na desinfecção de gaiolas, viveiros e todo o tipo de acessórios.Sò um comentário, embora não seja de importância vital para a nossa actividade nem todas as bactérias são afectadas pelos mesmos produtos, detergentes ácidos e básicos não são a mesma coisa!! Mesmo assim, a lixívia é um poderoso desinfectante que podemos usar na limpeza de tudo desde que com as devidas precauções em relação aos vapores e resíduos na água. Uma solução de lixívia a 10% em água quente serve muito bem como desinfectante.

Penso que no essencial tudo isto chega, mas existem outros meios de desinfecção, certamente cada um terá o seu, bem como os produtos que acha serem os melhores, ou essenciais.Uma coisa é certa, nunca descurem a limpeza das instalações, das gaiolas ou das aves, pois é por aqui certamente um dos segredos da saúde das aves, bem como da sua qualidade e bem estar. Como tal aquando da nossa presença no canaril, também nós sairemos beneficiados na nossa saúde, pois é sempre bom respirar num hambiente limpo de cheiros e poeiras. Para terminar, digo-vos que uma das melhores comprar que fiz, foi o purificador de ar da airfree, nada de cheiros e ar bastante mais puro no canaril. Recomendo este equipamento no auxilio da limpeza das intalações.
Cumprimentos a todos.

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Videos de Canários parte 1.

Boas a todos, hoje decidi começar a colocar no blog, alguns videos de canários. Algumas das raças são pouco conhecidas, principalmente para quem cria estas belissimas aves há pouco tempo.
Espero que gostem.
Canário Raça Espanhola



Canário Hoso Japones



Canário Bernause



Canário Crested




Canário Fiorino Corona


Canário Iris Fancy


Canário Jiboso Espanhol



Canário Lacansire

Excelente artigo sobre bigamia, ou como utilizar um macho para várias femeas

Boas a todos, este ano também eu vou utilizar 1 macho para 2 femeas. Bem, como é a primeira vez que vou utilizar tal sistema, andei a investigar pela internet, para saber um pouco mais sobre esta prática de acasalamento. Numa dessas buscas, encontrei este artigo, que explica de forma muito simples como proceder nestes casos. Este artigo foi retirado de uma revista, espero que a sua publicação não me traga problemas.
Se alguem tiver algo a acrescentar, ou se algo não estiver correcto, por favor deixe comentário, para rectificação.

O PAPEL DA BIGAMIA NA CANARICULTURA


Este artigo visa esclarecer os novos criadores do emprego da bigamia e de como tal prática possibilita a obtenção de um bom nível de qualidade nos plantéis com um custo mais viável.
É sempre bom alertar os interessados, entretanto, que tal sistema não é o mais prático, pois manter um número menor de reprodutores machos também significa despender maior tempo em manejo.
De um modo geral, o emprego de um macho para duas ou até cinco fêmeas (como é utilizado na Itália por alguns criadores) possibilita um investimento menor em aves de excelente qualidade, mas exige maior atenção e cuidado da parte do criador. Já ouvimos de jovens criadores, aliás com é o nosso caso, que o esquecimento de mudar um macho de gaiola num determinando período do dia, gerou ovos brancos. Mas tudo isso é um risco previsto, pois a bigamia exige maior dedicação por parte do seu criador. Para facilitar, quando um leigo trabalha junto do plantel, sugerimos que se corte as penas do rabo do macho em linha recta ou que se empregue anilhas plásticas da mesma cor para cada grupo de fêmeas e para o macho que está a ser utilizado. No nosso caso, preferimos o segundo sistema. Caso o tratador não saiba separar o macho das fêmeas, o que não é raro acontecer, é aconselhável utilizar um anel de cor único para todos os machos do plantel.
De um modo geral, a grande maioria dos criadores emprega o método tradicional, mantendo o casal fixo durante todo o período de cria. Muitos acreditam que os filhotes são melhor tratados quando a fêmea é ajudada pelo macho.
Não acreditamos que isso seja uma verdade indiscutível, já que muitos machos nem sequer se aproximam dos filhotes. Ao contrário, costumam até atrapalhar, quando tendem galar a fêmea acabam derrubando ovos ou esmagando filhotes. Outra alegação comum entre os defensores do casal fixo é de que, quando o macho é retirado, certas fêmeas deixam de tratar sua prole ou abandonam mesmo o ninho. Na bigamia, isso não ocorre, já que o macho deve ser retirado definitivamente quando a fêmea deposito o quarto ovo. Além disso, uma fêmea que não trata os filhotes ou abandona-os por qualquer motivo, não está apta para a criação e deve ser descartada.
É interessante mesmo alertar para o facto de que os criadores italianos não empregam forro fixo ou descartável, como fazemos, pois acreditam na máxima de que uma fêmea que não tece o seu ninho com pedaços de cordel, não será uma boa mãe. A experiência própria tem-nos demonstrado que isso também é uma verdade.
Numa das nossas viagens pela Europa, no mês de fevereiro, período de acasalamento na Itália, observamos que grande parte dos criadores aplicam o método da bigamia. Em outubro de 1994, ouvimos vários criadores italianos falarem do seu sistema de acasalamento. Mas como nem tudo o que se ouve é aplicado da maneira que se fala, aproveitamos nosso para ver “in loco” um pouco da grande experiência desses grandes criadores.
O mês de fevereiro na Europa, é ainda bastante frio, é utilizado para a selecção final do plantel e para o acasalamento. Tivemos o prazer de acompanhar ambos os processos.
Normalmente, são reservados dois machos muito parecidos para um grupo de cinco fêmeas também bem semelhantes. Cada um deles passa por todas elas, evitando-se que um falhe e ovos brancos já na primeira rodada. Caso este falhe, recomeça-se com o outro na rodada seguinte.
Durante as nossas conversas com esses criadores italianos, todos adeptos há muitos anos do emprego da bigamia, descobrimos que o grande sucesso (média de ovos férteis bastante elevada), depende da preparação e manutenção do macho, que é retirado da última fêmea antes de anoitecer e descansa até a manhã seguinte numa pequena gaiola colocada sobre as demais.

Antes de empregarmos dados retirados de pesquisas mais recentes sobre a bigamia, é bom que discutamos determinados aspectos que conduzem à reprodução das aves em cativeiro:
Na natureza, sabemos que as aves apresentam uma tendência natural à monogamia, o que não significa que não existam infidelidade nas relações entre um casal fixo (a média mais baixa de infidelidade é de 20%em algumas espécies).
Existem estratégias adoptadas por machos e fêmeas para atingir o objectivo do acasalamento extraconjugal. Ao contrário do que possa parecer, as infidelidades aumentam o sucesso reprodutivos e garantem o aumento de genes desejáveis de machos portadores de excelente material genético (só os mais férteis e fortes atingem o objectivo da cópula e reprodução).
Mas não só aos machos interessa essas infidelidade, já a natureza gera nas fêmeas o interesse de produzir filhotes melhores e mais saudáveis.
Pesquisas recentes demonstram que o índice de fertilidade nos machos aumenta quando se acasalam com outra fêmea que não a do casal fixo.
De um modo geral, o macho de algumas espécies (mandarins por exemplo) atinge entre 54% e 84% de fertilidade com uma fêmea nova (o que nos parece um índice bastante desejável).
Na monogamia, a experiência própria demonstra que, com raras excepções, esse índice fica entre 30% e 75%. A infidelidade e a bigamia estimulam tantos machos como fêmeas.
Nos machos, o período entre o novo acasalamento e a aceitação da fêmea não é de todo perdido, ao contrário, pois serve para amadurecimento dos espermatozóides.
A quantidade de espermatozóides liberada nesses casos é em torno de sete vezes maior, o que possibilita sua passagem peço canal vaginal da fêmea com maior rapidez. O canal vaginal é um meio ácido, portanto hostil aos gametas masculinos. Cabe lembrar ainda que a fecundação nas aves não ocorre no momento da copulação, mas posteriormente. Os espermatozóides ficam guardados no oviduto, sendo liberados aos poucos, já que uma fêmea só produz um ovo por dia para ser fecundado.
Em artigo recente sobre uma pesquisa desenvolvida com mandarins, foi provado que um macho que mantém relações com uma única fêmea, tem seu estoque de espermatozóides e a velocidade destes reduzida pela metade. “Mas, ao esperar que outras fêmeas cedessem às suas investidas, eles estariam melhorando a qualidade de seus espermatozoides”.
Alguns conselhos tornam-se úteis àqueles que resolvam utilizar a bigamia no próximo ano, já que a experiência mostrou-nos que devemos levar em conta certos cuidados na preparação do plantel para o período de cria, principalmente se a bigamia for empregada:

1) Individualização dos machos pelo menos dois meses antes do acasalamento. É preferível que um não veja o outro;

2) Manutenção das fêmeas em cômodo separado para que não ouçam o canto dos machos. Evita-se assim o estabelecimento de preferência;

3) Manter grades separando o casal durante pelo menos 15 dias;

4) Manter os casais sem que um veja o outro; e

5) Manter as gaiolas das fêmeas em sequência vertical para facilitar o manejo.

É aconselhável ainda a introdução de novas aves no plantel nos anos seguintes, para evitar-se a consanguinidade. Entretanto, é desejável o emprego de pai e filhas, mãe e filho, quando geneticamente a qualidade de ambos é indiscutível.
Um dos grandes méritos da bigamia, esse sistema aparentemente trabalhoso é facilitar a formação de quartetos, já que os filhotes originam-se de um mesmo pai e de fêmeas fisicamente semelhantes, normalmente irmãs.

Sem dúvida o aproveitamento genético de machos de grande qualidade é outra vantagem desejável por todos nós não é de hoje que sabemos que um grande campeão não nasce por acaso, mas resulta de um bom acasalamento entre canários de excelente qualidade. Não basta, entretanto, acasalar dois campeões; mas sim utilizar o material genético de cada um de maneira a obter qualidades, eliminando os possíveis defeitos.
Não são poucos os grandes criadores brasileiros (Blasina, Beraldi, Celso Ramalho, Basile, Gracioli) e Italianos (Malavasi, Bertoline, Manfredini, Dr. Bruno, entre outros) que empregam o sistema da bigamia e que tivemos a oportunidade de visitar.
É bom lembrar que eles não são campeões à toa, ou apenas porque empregam esse sistema, mas principalmente por aplicarem-se no estudo genético da ornitologia e na observação diária de seu plantel. São verdadeiros aficionados da Canaricultura, pessoas que buscam o prazer através da perfeição obtida ao criarem um belíssimo exemplar.
Não é apenas orgulho que observamos em suas fisionomias ao criarem um campeão, mas a felicidade de terem atingido um objetivo que custou anos de trabalho e dedicação.
Quem participa dos campeonatos, sabe muito bem que a ornitologia brasileira deixou de lado o amadorismo de algumas décadas atrás e atingiu um degrau inesperado em período tão curto. Isso fez com que todos nós investíssemos na qualidade do plantel para não ficarmos para trás.
Ninguém, pelo menos que eu saiba, cria actualmente canários apenas para comercializar em lojas de aves.
Afinal, de que adiantaria comprarmos tantas matrizes importadas para entregarmos filhotes de boa qualidade para leigos que desejam um canarinho para cantar?

Nesse sentido, é preferível investir em pássaros de primeira linha, obtendo resultados satisfatórios mais rapidamente.

Extraído da Revista da SPCO –

45ª Exposição de Canários – 1998.

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Como purificar o ar no canaril.

Boas a todos, hoje venho falar de um aparelho cada vez mais utilizado nos canaris. O purificador de ar. Este começa a ser um aparelho muito importante para a saúde das nossas aves, principalmente no inverno, uma vez que por norma o canaril se encontra fechado 24 horas por dia devido ao vento e ao frio. Por vezes começa a criar cheiros, bolores e o ar começa a ficar carregado de bactérias. Existem vários aparelhos no mercado, eu escolhi um da airfree, marca reconhecida em todo o mundo.

Os equipamentos Airfree reduzem a contaminação microbiológica do ar naturalmente, sem utilização de químicos ou filtros.
Recomendados por médicos e livres de contra-indicações, podem ser ligados em qualquer ambiente, inclusive no quarto das crianças.

- Elimina até 99% da contaminação microbiológica do ar
- Inativa em 5 segundos 93% do principal alérgeno dos ácaros (Derp1)
- Atua na prevenção das principais alergias e doenças respiratórias como asma, bronquite, rinite, sinusite, gripes (inclusive H1N1), resfriados e etc.
- Combate a proliferação do mofo.



domingo, 23 de janeiro de 2011

Dia de limpeza.

Hoje foi dia de limpeza a fundo no canaril, a húmidade não baixa e tenho de ter mais atenção ao fundo das gaiolas, tenho limpado a porcaria quase todos os dias e ao fim de semana faço uma grande limpeza. A areia que uso no fundo das gaiolas, é belissima, tal como nos gatos é só retirar onde está sujo, o resto fica impecável.

Aproveito para deixar aqui algumas indicações, já que tenho recebido msg no telemóvel a perguntar sobre esta areia. Ora eu tenho um post no blog onde esclarece tudo, mas deixo aqui a indicação de que compro no inter-marché, custa cerca de 1,75 eur o saco e há na variedade simples (saco amarelo) e na variedade com cheiro (saco lilás).Qualquer uma delas é boa.

Entretanto, embora o frio que se faz sentir, o canaril tem-se mantido nos 10, 11 graus, resolvi por isso ligar o aquecedor, no minimo, para ver se consigo manter nos 12, 13 graus durante a noite.
Deixo também algumas fotos das aves.










sábado, 22 de janeiro de 2011

Como é que isto me escapou??????


Boas as todos,hoje foi um daqueles dias em que entrei no canaril para tratar das aves e fiquei de boca aberta. Comecei, por retirar os ovos dos ninhos como todos os dias. Logo quando entrei vi uma hoso japones no ninho, pensei que o estivesse a arredondar, visto que ainda não o tinha acabado, tinha somente alguns cordeis no ninho. Qual foi o meu espanto quando olhei para dentro do ninho!
Vi um ovo,quando viro o ninho um pouco para o trocar por um de plástico, qual foi o meu espanto!!!!! 4 ovos....
Bem, fiquei sem pinga de sangue, como é que isto me escapou????
Bem, vou deixar tirar assim, mesmo com dias de diferença entre eles...
Agora não quero estragar a postura á canaria, vou esperar até que possa ver se estão galados e depois logo se vê....

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Nasceram os primeiros canários

Já nasceram os primeiros canáros de 2011. Já andava desconfiado que esta canária lipocromo amarelo este ano ainda iria tirar filhos mais cedo que o ano passado. O ano passado tirou os primeiros em 15 de fevereiro, e no total de 3 criações, deu-me 13 canários. É uma máquina, há muito que queria fazer ninho, mas eu andava a evitar, pois dúvidava que o macho estivesse preparado, mas felizmente correu bem. Ainda não sei quantos são, pois ainda não tive tempo de a observar bem, mas amanha vou tentar ver. Entretanto, tenho outros 5 casais também já no choco. Este ano parece que as aves adiantaram muito, os canaris que tenho visitado, todos têm canários no choco, mesmo sem darem aquecimento ou horas de luz. No meu caso, só dei aquecimento 3 ou 4 dias mais frios, ainda há bocado no interior do canaril estavam 12 graus.
Deixo aqui uma foto da menina no ninho.

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Casal de Arlequins com ninho pronto

Deixo aqui umas fotos de um casal de arlequins onde deposito fortes esperanças para este ano. O ninho já está pronto, em breve devem iniciar a postura.




domingo, 16 de janeiro de 2011

Pulmosan ou parasita da beaphar/ bogena?




Muitos perguntam qual utilizar?
O producto é exactamente igual, o ingrediente activo é a invermictina a 0,12%.
A diferença é que o parasita contem relativamente para o pulomosan, é o volume do frasco (parasita 50ml, pulmosan10 ml) o parasita é mais barato e no folheto não fala em canarios, mas sim em pombos. De resto é igual, aplica-se 1 gota por canário.
Ora este produto, elimina os ácaros da traqueia e combate os ácaros pulmonares e da pleura em canários, aves tropicais (diamantes) e passaros de gaiola. Inclui activo contra a sarna nos papagaios.

Deve aplicar-se quando as aves manifestam um ou mais dos seguintes sintomas:
- Baixa de forma; perda de canto.
- Plumas emboladas.
- Dificuldades respiratórias com muitos rúidos.
- Intenção de vómitos com movimentos caracteristicos na cabeça.


A aplicação do produto é fácil, uma vez que traz conta-gotas.
( Se comprar o parasita, aconselho a arranjar um conta-gotas mais pequeno, visto que como é uma embalagem destinada a pombos, o conta-gotas é maior, perdendo por vezes gotas desnecessáriamente).


Dosagem: 1 gota por canário.
- Ao detectar àcaros ou piolhos pulmonares deve tratar todas as aves do canaril.
- Aplicar a gota na parte da pele onde não haja penas, na àrea dos ombros.
- Para prevenção de reinfecção, repetir o tratamento passadas 4 semanas.
- Tratar as aves preferencialmente 1-2 meses antes da temporada de criação.


Não abusar da aplicação, pois como a ivermictina entra na corrente sanguinea, percorre toda a ave, limpando-a de acaros e piolhos, consentrando-se no figado. Eu aplico no inicio do verão e em novembro, antes das criações.

Existem outros produtos no mercado, como são os casos do acariasma(pó), o alax ou o ivomec entre outros. Depende da preferência de cada um, eu pessoalmente tenho-me dado bem com estes da beaphar.

Aproveito para deixar um video da aplicação, que encontrei no youtube. Não sei quem é o autor, mas está tudo bem explicado.


sábado, 15 de janeiro de 2011

Bróculos na alimentação das nossas aves

O nome “bróculo” deriva da palavra latina “Brachium”, o que significa braço ou sucursal, um reflexo da sua forma ramificada caracterizada por uma cabeça compacta de ramos unificados por pequenas hastes e um caule mais espesso.

Devido às suas diferentes componentes, este legume fornece uma grande complexidade de sabores e texturas, variando de macio (os ramos) para fibroso ou crocante (as hastes e caule). A sua cor pode variar de sálvia a verde escuro ou verde púrpura, dependendo da variedade. Um dos mais populares tipos de bróculos é conhecido como “calabrese”, baptizado com o nome da província italiana da Calábria onde primeiro se originou este tipo de bróculos.

Existem outros produtos hortícolas, que embora mais raros, estão também relacionados com os bróculos, como os “broccolini”, uma mistura entre bróculos e couve, e a “flor de bróculos”, um cruzamento entre couve flor e bróculos. Os rebentos de bróculos também se tornaram muito populares recentemente, na sequência de uma investigação onde se descobriu a sua alta concentração de sulforafanos, um fitonutriente benéfico na luta contra o cancro.

Eu por norma dou somente as bolinhas dos bróculos, misturados na papa, principalmente na época que se avizinha, a de criação. A partir do 5º dia de vida dos filhotes misturo na papa este excelente alimento, carregado de vitaminas, mas sem abusar. Dia sim dia não, misturo 2 ou 3 ramificações do bróculo, dependendo do tamanho do mesmo. As aves adoram e agradecem.
Convém fazer uma desinfecção do mesmo, devido ao uso de pesticidas na sua produção, por isso desifecto sempre com vinagre de cidra na àgua cerca de 10 ou 15 minutos.
Deixo aqui o valor nutricional do bróculo:





Tabela Nutricional

156 GRS / 43.73 CALORIAS
NUTRIENTES QUANT. DDR (%) DENSIDADE DO NUTRIENTE CLASS.
VITAMINA C 123.40 mg 205.7 84.8 excelente
VITAMINA K 155.20 mcg 194.0 79.9 excelente
VITAMINA A 2280.72 IU 45.6 18.8 excelente
FOLATOS 93.91 mcg 23.5 9.7 excelente
FIBRAS 4.68 g 18.7 7.7 excelente
MANGANÉSIO 0.34 mg 17.0 7.0 muito bom
TRIPTOFANO 0.05 g 15.6 6.4 muito bom
POTÁSSIO 505.44 mg 14.4 6.0 muito bom
VITAMINA B6 (PIRIDOXINA) 0.22 mg 11.0 4.5 muito bom
VITAMINA B2 (RIBOFLAVINA) 0.18 mg 10.6 4.4 muito bom
FÓSFORO 102.80 mg 10.3 4.2 muito bom
MAGNÉSIO 39.00 mg 9.8 4.0 muito bom
PROTEÍNAS 4.66 g 9.3 3.8 muito bom
ÁCIDOS GORDOS (OMEGA 3) 0.20 g 8.3 3.4 muito bom
VITAMINA B5 (ÁCIDO PANTOTÉNICO) 0.79 mg 7.9 3.3 bom
FERRO 1.37 mg 7.6 3.1 bom
CÁLCIO 74.72 mg 7.5 3.1 bom
VITAMINA B1 (TIAMINA) 0.09 mg 6.0 2.5 bom
VITAMINA B3 (NIACINA) 0.94 mg 4.7 1.9 bom
ZINCO 0.62 mg 4.1 1.7 bom
VITAMINA E 0.75 mg 3.8 1.5 bom

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Ovos galados. Sim ou Não??????

Olá a todos, já tenho os casais juntos há alguns dias. Com grade de separação só já tenho um casal, os restantes, já estão acasalados e com o ninho acabado, prontos para a postura ou practicamente pronto. No entanto um casal de lipocromos adiantou-se a todos os outros, e já está com 4 ovos no choco, desde dia 6 janeiro. Pensei que poderiam eventualmente não estar galados, mas confirmei hoje que 3 dos 4 ovos estão galados.
O quadro ao lado, mostra como se deve encontrar o ovo, dependendo do numero de dias de choco. Basta colocar o ovo contra uma lâmpada, para confirmar o seu estado.
Espero para a semana já ter os primeiros canários deste ano.
Cumprimentos

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Protectores Hepáticos.

PROTECTORES HEPÁTICOS

A alimentação habitual das aves em cativeiro apresenta dois defeitos principais. A um excesso de gordura, há a juntar uma carência em minerais e, sobretudo, fósforo.
A maioria dos grãos distribuídos ás aves são oleaginosos, casos das sementes de nabo, papoila, Níger, semilha ou cânhamo., que contêm entre 30 e 40% de gordura. Com efeito, é preciso considerar que a ave, descascando o grão, deixa a casca para consumir apenas o interior onde se encontra toda a gordura. Um tal excesso, é tolerável pelos pássaros que vivem no exterior e numa estação fria, é, no entanto, muito grave para os que vivem no interior das habitações ou mesmo em recintos não aquecidos, onde a temperatura não desce abaixo dos 10 graus centigrados. As aves suportam mais ou menos bem esse excesso de gorduras que, no entanto, pode ser a causa de problemas graves, caso de hepatites, seguidas de enterites.
A hepatite alimentar tem uma evolução lenta (2 a 4 semanas) e, no principio, a ave parece embolada por momentos e, depois, cada vez mais frequentemente.
Está constantemente no comedouro, mas desperdiça muito mais do que come.
O ventre encontra-se vermelho, muitas vezes inchado e a sua respiração pode ser penosa apesar de silenciosa. O ventre vermelho é sinal de enterite com congestão do intestino. A respiração é afectada pelo fígado, que se encontra hipertrofiado até 2 a 3 vezes o seu volume normal. Na autópsia, encontramos o fígado descorado, amarelado ou de cor mástique. A hepatite tem um resultado fatal, salvo intervenção rápida no seu inicio. Infelizmente, na maioria dos casos, perante estes sintomas, os amadores e muitas vezes os criadores mais experientes começam por dar antibióticos, cuja acção é ainda pior.
A correcção, é possível de ser feita com produtos hepáticos, que devem ser dados 1 ou 2 dias por semana, de forma a corrigir os excessos de gordura que se acumulam no fígado.
Existem vários produtos para o efeito no mercado, destaco entre eles o floracholine, o avichol, o pro-hepatc, o colina ca/p ou o chá de tisana da chemi-vit. Eu alterno um destes produtos com o vinagre de cidra. Este ano estava a pensar utilizao o floracholine da moreau, mas infelizmente esgotou, comprei o colina da avizoon, mas de futuro vou comprar o avi chol da oropharma, isto é, se não conseguir o floracholine.




domingo, 9 de janeiro de 2011

Barragem de Alqueva- maior lago artificial da Europa

Olá a todos, não me vou alongar muito na conversa, porque facilmente podem encontrar informação online sobre a mesma, mas hoje foi dia de passeio a uma barragem que conheço bem.
Durante a semana, soube que estava a fazer descargas controladas na barragem, resolvi dar uma vista de olhos. Já não é a primeira vez que vejo o fenómeno ao vivo, mas é sempre agradável, visto ser um magnifico espectáculo. Aconcelho todos a visitarem a mesma, tal como as aldeias ribeirinhas, num percurso magnifico, com paisagens lindas, boa comida e alojamento. Façam um percurso turistico pelas aldeias ribeirinhas, a nova aldeia da Luz, o campinho. Amieira onde podem ver o monumento ao forcado, a marina, Alqueva com o seu monumento de homenagem ao matilheiro.
Visitem, vale a pena acreditem.Deixo umas fotos:


















Ora viva, numa altura em que os euros cada vez são menos, nunca é demais recordar um video que fiz o ano passado e que coloquei no youtube. Tem sido gratificante os mails que me têm enviado a dar os parabéns pelo video. A maior surpresa é que quase todos os comentários são provenientes de Itália. Bem, o ano passado safei-me muito bem com estes ninhos, não é necessário andar a gastar dinheiro quando podemos fazer coisas com as nossas próprias mãos e este ano fiz mais uns e nos outros só necessitei dar uns retoques.

Vá lá pessoal paciência e mãos à obra.


sábado, 8 de janeiro de 2011

Vitaminas e a sua importância

VITAMINAS

As vitaminas são imprescindíveis para a manutenção do perfeito funcionamento do organismo. Estas favorecem a assimilação dos alimentos, são importantes para o crescimento e para a fertilidade. Têm influencia na plumagem e na resistência orgânica. Cada vitamina é responsável por uma função específica, e a carência de uma delas gera problemas que afetam todo o organismo.

Vitamina A: Essencialmente para o crescimento da ave actua sobre a audição, o equilíbrio da ave e a visão. Encontra-se nas verduras, na casca de maçã, cenoura, gema de ovo e no óleo de fígado de bacalhau.)

Vitamina B: Actua no sistema nervoso, previne doenças do fígado, rins e coração.
Encontra-se na levedura de cerveja, trigo, cascas das sementes, verduras, gema de ovo, tomate.)

Vitamina B1: Actua no desenvolvimento muscular, sistema nervoso, postura e desenvolvimento do embrião. (Encontra-se na maçã, gema de ovo. )

Vitamina B2: Actua nos ovos, dando maior fertilidade, crescimento dos filhotes e sistema nervoso, a falta pode causar raquitismo e o peso baixo.
(Encontra-se no alpiste, gema de ovo, leite, óleo de fígado de bacalhau. )

Vitamina B3: Fortifica e mantém a textura da pele.
(Encontra-se na gema de ovo e nas sementes.)

Vitamina B6: Actua sobre o fígado, sistema nervoso, crescimento e a pele.
(Encontra-se nos cereais, almeirão e gema de ovo.)

Vitamina B12: Necessária no crescimento e nascimento dos filhotesVitamina B12: Necessária no crescimento e nascimento dos filhotes.
(Encontra-se nos complexos vitamínicos como: farinha de peixe, complexo B, Vitamina
A, D. )

Vitamina C: Previne das doenças infecciosas no aparelho respiratório.
(Encontra-se nas frutas frescas, alimento verde.)

Vitamina D: Actua na boa formação óssea, combate o raquitismo.
Vitamina E: Actua na reprodução, ajudando numa boa fecundação dos ovos.
(Encontra-se no óleo de gemen de trigo, gema de ovo e verduras.)
Cálcio: Um forte componente para a formação e reforço do esqueleto, e do aparelho reprodutor das fêmeas.
(Encontra-se no osso de choco, farinha de ostra e nos ossos de peixe.)
Eu utilizo vários complementos vitaminicos, como são o caso do protovit ou do vitamino l. Existem vários no mercado, o anima strath é também um dos preferidos dos criadores. cada criador escolhe o que prefere, em função do preço ou da disponibilidade de produtos da loja a que vai. Com o tempo, vamos aumentando o nosso próprio nível de exigencia nos produtos, quer falando com outros criadores, quer fazendo pesquisas na internet. podemos fornecer estes complexos, quer na papa, quer na água. Se fornecermos complexos vitaminicos na papa, convém que se adquira o produto em pó, se for em liquido, tanto pode ser na àgua, como pode ser na papa. Eu, pessoalmente, administro na altura das criações na papa. Como utilizo papa seca, aproveito os couscous com que vou humedecer a mesma, para dar as vitaminas. Como se sabe os couscous, vão sugar a àgua e assim as vitaminas vão para estes. Depois de colocar a papa, misturo tudo muito bem, de forma a humedecer. As aves quando comem os couscous, assimilam as vitaminas.

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Caniaves


Boas, o caniaves é uma excelente opção para prevenção e tratamento contra piolhos e acaros nas nossas aves.É barato e tem excelentes qualidades.

Bisnaga, formulação em pó com 5% de carbaril


Insecticida em pó contra pulgas e carraças de cães e gatos e contra piolhos e ácaros das aves canoras e ornamentais.


MODO DE EMPREGO


Em cães e gatos, polvilhar o corpo do animal no sentido inverso ao do pêlo. Em aves, polvilhar o corpo do animal de forma a que o pó penetre no interior das penas. Não utilizar mais de 5 g por ave.


EMBALAGENS DISPONÍVEIS


Disponível em embalagens de 100 g.

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Insectornis da Latac


INSECTORNIS INSETICIDA da LATAC para gaiolas

Boas a todos, este ano vou administrar o insectornis da latac. O ano passado usei o caniaves com bons resultados e este ano vou usar também, principalmente no fundo das gaiolas, entre o tabuleiro e o fundo. Mas nos forros dos ninhos optei pelo insectornis, uma vez que adere melhor, penso que fiz a opção certa. Para além disto, posso pulverizar as gaiolas de vez em quando de modo a prevenir possiveis infestações de piolho durante a criação.

Os parasitas externos afectam todos os animais, sem exceptuar as aves de gaiola. As suas picadas, causam desconforto para as aves, causando por vezes falta de apetite e anemia, que por sua vez pode transmitir infecções graves.

Entre os parasitas externos, os mais comuns são duas variedades de piolhos, os brancos que vivem nas aves, mas não mordem e a vermelha. Estes picam durante a noite, escondendo-se durante o dia nas frestas dos gaiolas sob o ninho, etc. Os piolhos vermelhos são muitas vezes ignorados, mas são realmente perigosas e podem causar anemia fatal e aves.

ESPÉCIES ALVO: Canarios, pombos e aves ornamentais.

USO: O frasco de 20g, permite preparar 4 litros de água.
começa por se misturar com um pouco de água até obter uma pasta lisa e em seguida, adiciona-se a água restante. A suspensão resultante é usada com um pincel ou pulverizador para desinfecção das gaiolas e equipamentos, fundos duplos, etc... Também pode ser usado para os ninhos, deixando a sua protecção assegurada por varias posturas, cerca de 3-4 meses.
Se for necessário pode colocá-lo na água do banho.

O INSECTORNIS é inofensivo para as aves, mas não deve ser aplicados diretamente sobre elas.

COMPOSIÇÃO: metilnaftilcarbamato 50g, excipiente qs 100 gramas

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Estou a achar as aves muito adiantadas este ano

Este ano acho as canarias mais adiantas que o ano passado. Talvez por ser o segundo ano de criação para a maioria dos casais, tenham começado o cio mais cedo. O ano passado tirei os primeiros canários no principio de fevereiro, este ano deve ser mais cedo. Tal como tinha dito já aqui no fórum, separei os machos em dezembro, pois já brigavam algumas vezes, por altura do natal, resolvi fazer os casais, pois tinha femeas a mais e precisava saber o que podia dispensar. Coloquei cada casal numa gaiola, com rede separadora para se irem conhecendo. Ao fim de 5 dias já trocavam comida e algumas femeas já contruiam o ninho. Neste momento tenho uma femea já no choco, deixa ver o que sai...
Tenho pensado se este adiantamento se deve ao clima, pois este ano não tem estado tanto frio como o ano passado por esta altura. O ano passado tive de recorrer ao aquecedor muitos dias, ao contrário deste an que só liguei 2 ou 3. A temperatura no canaril tem rondado sempre os 10 ou 12 graus. O facto de uma parede do canaril estar virada a norte, pode tambem ter influencia. O ano passado estava exposta á chuva, este ano resolvi fazer um alpendre nesta parede o que tambem não deixa que a chuva a alcance. Bem, não sei, vamos ver o que vai dar daqui para a frente...
Estou bastante esprançado nos canários de factor, tanto arlequins como phaeos, espero ter a sorte necessária para conseguir alguns bons exemplares.
Abraço a todos, boas criações para 2011.

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

A mutação Phaeo


Boa noite a todos, hoje vou falar um pouco de uma nova mutação que adquiri para o meu canaril.
Os Phaeos.

Mutação Phaeo

A mutação que deu origem aos Feos (Phaeo) surgiu em 1964 na criação de um canaricultor belga, Sr. Jean Pierre Ceuppens, de uma linhagem de Canelas Vermelhos, posteriormente na prole de um casal de Isabelinos Amarelos. Progressivamente, este criador, seguido por outros aficionados belgas introduziu a mutação em pássaros com cor de fundo branca e nos outros tipos melánicos clássicos. Originalmente esses pássaros eram muito diluídos e o que atraiu os criadores foi a novidade e a presença dos olhos vermelhos. Nós conhecemos então a mutação Ino, que foi em seguida introduzida nos canários lipocrómicos, especialmente pelo famoso criador francês, Sr. Ascheri. Apenas alguns anos mais tarde, esses mutantes atingiram o padrão dos pássaros actualmente denominados Feos, que são por essência o resultado da associação Canela. Pouco a pouco, conseguiu-se desenvolver o escurecimento da tonalidade marrom de seu desenho, aliado a uma bela escamação, traduzindo-se nos pássaros espectaculares que hoje conhecemos. Esse trabalho foi feito sobretudo por criadores belgas e franceses. Em França, há uma longa tradição na criação de Feos.
A mutação Ino introduzida no tipo melánico Canela provoca o desaparecimento completo da eumelanina marrom, dando origem aos olhos vermelhos, mas deixa intocada a feomelanina. A tonalidade desta será medida por sua intensidade e pela pureza de origem (intensidade fraca se misturada com a eumelanina).
Os Feos (Phaeo) não apresentam eumelanina negra, mas apenas a melanina marrom (feomelanina) em sua tonalidade máxima e sob a forma de desenho escamado. Este desenho deve apresentar excelente contraste: eixo das penas branco (sem melanina) com a borda marrom escuro.

A escamação deve estar presente sobre a cabeça, sob a forma de pequenas estrias “limpas”, depois repartida regularmente sobre todo o dorso, nas espáduas e nos flancos. As rémiges e rectrizes devem apresentar bordas de tonalidade marrom bem escuro. A melanina marrom deve manifestar-se em todo o corpo do pássaro, desde o bico até à rabadilha. O bico, as patas e as unhas são cor de carne e os olhos são vermelhos.